terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Perguntas mais frequentes sobre evacuação de edifícios


Quando eu encontrei esta lista de perguntas e respostas, no portal da NFPA, tive vontade de compartilhar com a maior quantidade de pessoas. Infelizmente, não encontrei uma versão em português. Por isso, decidi realizar uma tradução, de forma a ampliar a possibilidade de acesso a este texto.

A NFPA é a maior associação técnica e educacional, no mundo, sobre o tema da prevenção e combate a incêndios. Suas produções técnicas servem de referência para inúmeras normas, leis, regulamentações técnicas, treinamentos, enfim, para diferentes formas de multiplicar informações sobre o assunto.

As perguntas deste texto são aquelas que surgem com frequência, em diferentes situações, especialmente entre pessoas que trabalham em grandes edifícios. Se você trabalha com emergências, espero que goste tanto quanto eu desse conjunto de perguntas e respostas tão esclarecedoras.

Fiz a solicitação e recebi a autorização formal da NFPA, em 09/01/2017, para publicar esta tradução. Mas eu recomendo que você consulte o texto original, caso queira usar como referência.


Perguntas mais frequentes sobre evacuação de edifícios
Translated with permission from the National Fire Protection Association Web Site, copyright © 2015 NFPA

Tradução: Ricardo Pereira de Mattos, janeiro de 2017
Texto original, em inglês: http://www.nfpa.org/public-education/by-topic/property-type-and-vehicles/high-rise-buildings/faqs-about-building-evacuation

A evacuação de edifícios altos é diferente de outros edifícios?

Os vários andares de um edifício alto criam o efeito cumulativo de exigir a um grande número de pessoas percorrerem grandes distâncias verticais nas escadas, a fim de evacuar o edifício. Na evacuação das torres de escritórios do World Trade Center após o atentado terrorista em 1993, dezenas de milhares de ocupantes do edifício, com sucesso e segurança, percorreram cerca de cinco milhões de pessoas-lances de escadas. As exigências físicas feitas aos ocupantes, muitas vezes, excedem as capacidades de muitos deles. Além disso, o processo de evacuação de alguns dos maiores arranha-céus do mundo pode levar mais de duas horas.

Os sistemas de incêndio e segurança instalados em prédios altos, atualmente, incluindo a proteção por chuveiros automáticos de incêndio (sprinklers), são projetados para controlar um incêndio e, portanto, diminuir a necessidade de evacuar todos os ocupantes. Em um cenário típico, os ocupantes do andar do incêndio e dos pisos imediatamente acima e abaixo devem imediatamente usar as escadas de saída para descer ao nível do solo que é, pelo menos, vários andares abaixo do pavimento do incêndio, e aguardar novas instruções de segurança.

Quais são os elementos-chave de preparação para emergências?

Alerta prévio (normalmente através de um sistema de alarme ou comunicação de voz), meios adequados de saída (rotas de fuga) e familiaridade dos ocupantes com o plano de emergência, por meio do conhecimento e prática.

Os proprietários ou administradores estão obrigados a realizar exercícios de emergência regulares para os ocupantes?


Apesar de não ser obrigatório para todos os edifícios, a norma NFPA 101®,Código de Proteção da Vida ®, requer que os locais de trabalho, unidades de saúde, instituições educacionais e outras ocupações forneçam informações sobre o plano de evacuação e rotineiramente agendem e realizem exercícios, quando praticável.

Como as instruções de emergência são aplicadas para uma emergência real e comunicadas aos ocupantes do edifício?


Sistemas de alarme de incêndio de edifícios altos são obrigados a ter uma comunicação de voz de emergência. A equipe de emergência é treinada para avaliar a emergência e pode então transmitir uma variedade de mensagens específicas para os ocupantes. Os ocupantes que estejam sob maior risco, são instruídos a usar as escadas de saída para começar a sua descida. Ocupantes de outros andares podem ser instruídos a permanecerem onde estão e aguardar novas instruções. Nesses casos, apenas os ocupantes no pavimento do incêndio e nos pisos imediatamente acima e abaixo recebem a mensagem. Caso a dimensão da emergência aumente, os anúncios podem ser expandidos para incluir andares adicionais, ou, se necessário, todo o edifício.

Se a descida da escada for potencialmente perigosa, existem alternativas?


Os sistemas construtivos, de proteção contra incêndios e de segurança, instalados em edifícios de grande altura, incluindo a proteção por chuveiros automáticos, são projetados para controlar um incêndio de modo a diminuir a necessidade de evacuar todos os ocupantes ao nível da rua. Os ocupantes do andar do incêndio e dos pisos imediatamente acima e abaixo dele devem imediatamente usar as escadas de saída para descer a um nível que seja, pelo menos, alguns andares abaixo do pavimento do incêndio. Os ocupantes podem então reentrar no espaço ocupado nesses pavimentos seguros para aguardar novas instruções.

Se descer as escadas leva tanto tempo, não é melhor ir até o telhado e esperar ser resgatado lá?


Não. Muitos de nós já vimos vídeos dramáticos de helicópteros pegando ocupantes do telhado de um prédio em chamas. Este é um procedimento extremamente perigoso para os ocupantes, os pilotos e bombeiros que podem estar no edifício. Em primeiro lugar, um helicóptero pode não chegar para salvá-lo, assim, se subir ao telhado em vez de descer as escadas, você pode desperdiçar um tempo valioso. Este não é um procedimento padrão nos EUA, ou na maioria dos países estrangeiros. Em incêndios grandes, as correntes térmicas, geradas pelo calor do fogo, podem fazer com que o helicóptero seja fustigado para cima ou para baixo, tornando-o difícil de controlar. O impulso para baixo resultante do rotor do helicóptero pode forçar fumaça e ar superaquecido em cima da equipe de emergência. A maioria dos projetos de construção incorporam inúmeros recursos para direcionar os ocupantes para a rua ou para o nível do solo para fins de evacuação.

Posso usar o elevador?


Nunca é apropriado utilizar o elevador durante um incêndio ou emergência semelhante, mesmo em um prédio de dois andares. Quando ocorre um incêndio, elevadores são programados para serem direcionados para um pavimento designado, normalmente o pavimento térreo. Em circunstâncias incomuns, um mau funcionamento do elevador pode levá-lo para o próprio pavimento do incêndio, expondo assim os ocupantes ao fogo. As portas do elevador podem também permitir que a fumaça entre e migre pelo “shaft” para o telhado do edifício. Quaisquer ocupantes do elevador seriam expostos a essa fumaça.

Que procedimentos devem ser aplicados para as pessoas em cadeira de rodas ou com outras deficiências que afetam a mobilidade?


Os ocupantes com deficiência devem estar previstos nos procedimentos escritos. Se o pavimento tem que ser evacuado, você deve planejar a realocação horizontal para uma área de refúgio. Em edifícios com proteção por chuveiros automáticos, isso pode ser simplesmente um compartimento adjacente ou outra parte do escritório. Em outros casos, a construção pode ser provida com áreas de refúgio. Estes espaços podem ser localizados de forma independente, compartimentos com barreiras, ou podem consistir de áreas de grandes dimensões nas entradas das escadas. Independentemente de qual recurso que você dispõe, o seu plano inclui esperar em um dos espaços designados até que a equipe de emergência possa removê-lo. Muitas vezes, esses espaços estão equipados com um dispositivo de comunicação ponto-a-ponto para que possa dar à equipe de emergência a sua localização. O seu local de trabalho também pode completar este procedimento com um sistema de "amigo". Neste caso, você precisa prever situações em que o "amigo" pode não estar disponível em caso de emergência. Em todos os casos, e independentemente da deficiência de uma pessoa, se você tem dúvidas sobre o plano do seu prédio ou como você se encaixa nele, você deve perguntar ao seu empregador para obter informações detalhadas e solicitar um papel para pessoas com deficiência na elaboração do plano.

Se eu ficar e, em seguida, a situação tornar-se insustentável e eu ficar preso, eu devo quebrar uma janela? Devo pular?


Se você está preso em um edifício alto, tente localizar-se em uma área onde você pode fechar a porta e selar as fissuras para bloquear a entrada de fumaça. Utilize um telefone para chamar os bombeiros e informar sua localização exata no edifício. Tente ser paciente. O resgate de emergência dos ocupantes de um edifício alto pode levar um longo tempo. Você pode sinalizar sua posição para resgatar o pessoal de uma janela com um pano de cor clara, mas não é aconselhável para quebrar uma janela. Se você pode abrir a janela um pouco, geralmente é seguro fazê-lo para permitir que o ar fresco, mas estar preparado para fechá-la se a fumaça estiver entrando. Uma janela quebrada não pode ser ajustada para bloquear a fumaça se ela estiver entrando. Finalmente, pedaços de vidro de uma janela quebrada podem cortar mangueiras de incêndio e ferir gravemente o pessoal de salvamento e combate que estejam chegando. É muito perigoso usar uma janela para escapar de qualquer lugar mais alto do que o segundo andar.

O meu prédio deve ter algum tipo de dispositivo de escape exterior?


Itens como rampas de fuga e dispositivos de descida controlada são permitidos como rotas de fuga em estruturas especiais, tais como algumas torres e ambientes fabris. Eles não são permitidos, nem recomendados pelos códigos estabelecidos nos Estados Unidos para edifícios comerciais e públicos. Tais dispositivos não chegam perto do nível de proteção proporcionado pelos outros recursos exigidos pelo código.

Se o prédio vizinho está em chamas, deve meu prédio ser evacuado?


Não durante um incêndio típico. Você deve manter-se atento e identificar se há algum indício ou alterações das condições que possam resultar em seu prédio ser ameaçado pelo incêndio adjacente. Nesses casos, a equipe de emergência deve ter tempo suficiente para ordenar tais evacuações.

Será que os sistemas de saída do prédio em que trabalho funcionam em um ataque terrorista?


A sociedade não tem exigido do poder público que se promulgue leis que exigiriam o pagamento de quantias quase ilimitadas de dinheiro para se proteger contra todos os riscos previsíveis e imprevisíveis. Na realidade, não há nenhuma maneira física para garantir essa proteção, mesmo com recursos ilimitados. Antes do 11 de setembro de 2001, um piloto suicida ao comando de uma aeronave Boeing 767 não teria aparecido na lista de qualquer um dos perigos previsíveis. Em 1945, o piloto de um bombardeiro B-25 bimotor ficou desorientado na névoa pesada e caiu no Empire State Building em uma manhã de sábado, quando o edifício estava pouco povoado. A gasolina dos tanques de 1400 litros inflamou e 14 pessoas morreram e 26 ficaram feridas.Quando as torres do World Trade Center foram construídas em 1970, elas foram concebidas para suportar o impacto de uma aeronave Boeing 707 - o maior avião em vôo naquele momento. As aeronaves Boeing 767 utilizadas no 11 de setembro, foram consideravelmente maiores e levavam cerca de 20.000 litros de combustível que levariam os aviões a atravessar o país para a Costa Oeste, sem reabastecimento. Os procedimentos atuais de evacuação do edifício ou de relocalização, consideram a necessidade de mover os ocupantes para longe do perigo, perante um incêndio que cresce de forma muito previsível a uma taxa que é típica do risco de incêndio previsto em um edifício.

Meu prédio tem procedimentos escritos de evacuação. Eles são adequados para qualquer emergência que possa ocorrer no meu prédio?


É altamente provável que os procedimentos sejam adequados para todas as emergências. Em nossa sociedade, nós planejamos com base em ocorrências que possam vir a acontecer em um edifício ou estrutura. Em grande parte, os procedimentos de evacuação são voltadas para um incêndio acidental ocorrido num edifício. Se os procedimentos deixarem claro para você as ações que deve adotar, e quando adotá-las, isto é, em essência, o que você precisa saber. Apesar de não ser obrigatório para todos os edifícios, incentive o seu empregador a realizar um exercício simulado uma vez por ano. Se você estiver no pavimento superior de um edifício alto, esta pode ser uma boa oportunidade para praticar e experimentar o plano.

Muitos destes processos são baseados em eventos típicos. O que acontece quando o evento não é típico?


Tal como acontece com qualquer situação em nossas vidas diárias, você está em última instância, no controle de seu destino a um determinado nível. Assim, você é em grande parte responsável por sua própria segurança pessoal com base nas circunstâncias. Os procedimentos detalhados, instruções verbais e até mesmo experiência do passado podem não ser suficientes para ajudá-lo a lidar com eventos extraordinários.

As letras - R E D - da cor universal para o perigo (Vermelho) podem ser usadas para ajudá-lo em tais circunstâncias.

React (Reaja): Leve a sério qualquer indicação de fumaça, fogo ou outra situação potencialmente ameaçadora. Acionamento de alarmes de incêndio, cheiro de fumaça, indicação visual de chamas, alerta de outros ocupantes, a chegada do corpo de bombeiros, são alguns dos elementos que podem sinalizar uma situação iminentemente perigosa.

Evaluate (Avalie): Você deve avaliar o grau da ameaça. Isso inclui a confirmação da presença de fumaça ou fogo; julgar as condições da sua área; auto-avaliação de sua capacidade física para se deslocar ou evacuar o local; avaliação das necessidades e habilidades dos outros que podem precisar de ajuda; considerar a informação adicional recebida.

Decide (Decida): Há apenas duas escolhas, e escolhas difíceis:

Siga seu plano e saia imediatamente do edifício.

OU
Siga seu plano e fique onde está, ou desça para o nível designado abaixo do pavimento do incêndio e esteja preparado para tomar medidas de proteção/defesa. Neste caso, a ação planejada pode incluir alertar os bombeiros da sua localização, vedar as portas, janelas e aberturas que existam em seu ambiente. Não quebre as janelas. Esteja preparado para esperar por um período de tempo considerável (pelo menos uma hora) se você considerar um resgate pelo corpo de bombeiros.
-------------------------
Nota sobre a tradução

Esta relação de perguntas e respostas foi publicada no portal da NFPA - National Fire Protection Association. Esta é uma tradução livre, mas formalmente autorizada pela NFPA. Procurei não alterar o contexto, embora haja algumas diferenças entre a realidade da legislação brasileira e da norte-americana. De qualquer forma, a maioria dos conceitos apresentados neste texto são internacionalmente adotados. Se você encontrar, com base no texto original, alguma necessidade de melhoria nesta tradução, entre em contato comigo e envie a sua sugestão.

Ricardo Mattos, Engenheiro de Segurança do Trabalho.

e-mail: ripemattos [at] gmail [.] com
O texto original está no seguinte endereço:
http://www.nfpa.org/public-education/by-topic/property-type-and-vehicles/high-rise-buildings/faqs-about-building-evacuation

domingo, 1 de janeiro de 2017

Feliz Ano Novo!

No início do ano, estamos sempre desejando o melhor aos amigos. A esperança surge naturalmente nessa época. Mesmo diante de um cenário tão triste e assustador. E foi sobre esse tema que o Papa Francisco falou na última Audiência Geral de 2016. Por isso, escolhi um trecho das palavras dele, para construir esta mensagem para os seguidores e visitantes deste blog.

"A esperança abre novos horizontes, permite sonhar até mesmo o inimaginável; faz entrar na escuridão de um futuro incerto para caminhar na luz. Mas é um caminho difícil! A fé não é apenas silêncio que tudo aceita sem replicar; a esperança não dá uma certeza tal que te preserve de dúvidas e perplexidades. A fé é também lutar com Deus, mostrar-Lhe a nossa amargura sem piedosos fingimentos. E a esperança é também não ter medo de olhar a realidade como está e aceitar as suas contradições. Nos vossos corações, famílias e comunidades, resplandeça a luz do Salvador, que nos revela o rosto terno e misericordioso do Pai do Céu. Ele vos abençoe com um Ano Novo sereno e feliz!" (Papa Francisco, em 28 de dezembro de 2016, na última Audiência Geral deste ano)

Feliz 2017! Com fé, esperança e lutando o bom combate! Especialmente para nós que trabalhamos pela prevenção de acidentes e, por isso, a favor da Vida, em toda a sua plenitude.

Acrescentei uma música, que fala de sonhos, esperança e futuro. Espero que você goste.